O processo de meditação pode ser considerado um conjunto de patamares, que se vão conseguindo à medida que se avança na prática. Assim temos:

Pratyhara (Interiorização)
A consciência volta-se para dentro, abstraindo-se das sensações exteriores e mesmo internas, gerando um estado de clareza mental, sereno e atento.

  Dharana (Concentração)
Quando a influência dos estímulos externos e a actividade mental são dominados e a mente se fixa numa só coisa, estamos em dharana.

  Dhyana (Meditação)
É o prolongamento da concentração e surge quando se mantém um fluxo contínuo de atenção no objecto de concentração. Dhyana é a porta para o Samadhi, Iluminação ou Auto-Realização do Ser.